×
Everton Castro
Everton Castro

Desenvovedor Full Stack, fã de podcasts, canais e livros de tecnologia.
🎧💻📚

CONTATO

Não há motivos para seguir sozinho no início da carreira
Um garoto pequeno correndo por uma rua deserta sozinho

Créditos da imagem: Emma Frances Logan on Unsplash

Não há motivos para seguir sozinho no início da carreira

23, Jun 2018    

Já havia um tempo que eu estava com desejo de começar a escrever algumas experiências minhas sobre meu trabalho e estudos na área de desenvolvimento de sistemas, mas eu achava que não passava de um desejo momentâneo e que eu não tinha tanto motivo para isso. Por vezes pensei que estava confundindo o desejo de escrever com a admiração pelos blogs de tecnologia que acompanho.

Entretanto, tive uma experiência bem legal recentemente ao ajudar um colega que estava buscando uma oportunidade para trabalhar com programação. Sem dúvida foi o que me motivou a escrever esse primeiro texto.

Em uma conversa no início do ano ele me contou que estava fazendo o mesmo curso na faculdade que eu cursei anos atrás e que estava buscando uma oportunidade. Comentou que ainda não tinha experiência mas queria muito aprender. Eu expliquei de forma bem rápida como eu consegui uma oportunidade mas a conversa se encerrou por ali.

Há semanas atrás ele me pediu algumas dicas de como buscar vagas e no fim decidimos nos encontrar para eu explicar coisas que poderiam ajudá-lo a se preparar. Nessa hora tive a oportunidade de falar tudo que eu gostaria de saber quando eu me encontrava na mesma situação.

Nesse momento me lembrei das dúvidas mais básicas que eu tinha no início, tais como: diferença entre front-end e back-end ou até mesmo pensar que java e javascript eram a mesma coisa. Na faculdade eu percebia as coisas separadas umas das outras e não conseguia conectá-las de uma forma que fizesse sentido e acredito que isso aconteça com muitos, talvez por, às vezes, termos uma atitude passiva de aprendizado. A propósito, acredito que a proposta de um curso possa ser a de mostrar o caminho e que nós devemos ser ativos ao buscar fortalecer o conhecimento.

Com esse pensamento em mente, considerando que ele já conhecia algumas tecnologias, comecei a mostrar de forma sucinta como funciona uma aplicação web, explicando o que são recursos estáticos como arquivos html, css e javascript; funcionamento de um servidor de aplicação e banco de dados; diferença enfre front-end e back-end; hospedagem de aplicações e vários outros itens que compõem um sistema web convencional.

Naquela semana ele começou a utilizar o github e subir alguns projetos pessoais em que tive a oportunidade de ajudá-lo dando algumas dicas. Dias depois ele participou de um processo seletivo e em meio a vários candidatos destacou-se por parecer bastante motivado a aprender, e por estar familiarizado com algumas tecnologias conseguiu a vaga.

Entender como esses recursos se conectam um ao outro ajudam muito a definir um plano e foco de estudo. Por exemplo, uma pessoa que pretende trabalhar com desenvolvimento de aplicações web pode começar a desenvolver páginas estáticas utilizando html e css; em seguida pode criar formulários e validá-los com javascript.

Em paralelo pode estudar os conceitos básicos do protocolo http (que é o protocolo que sustenta a web) e alguma linguagem de programação do lado do servidor (back-end) como PHP e Java. Com o tempo terá estabelecido uma “base” de conhecimento que ajudará a resolver problemas e entender melhor novas tecnologias.

Nesse link tem um post muito legal do Guilherme Silveira da Alura/Caelum explicando uma forma bem eficiente de organizar o estudo.

Outra atitude legal é criar projetos pessoais. Me lembro de quando eu ainda não havia entrado na área de desenvolvimento e queria muito comprovar um pouco do que eu tinha aprendido. Decidi criar um projeto pessoal como um jogo de perguntas e respostas e levei nas entrevistas que participei e foi o que me ajudou. Hoje existem várias formas de fazer isso como, por exemplo, subir todos o seus projetos pessoais no github e apresentá-los.

Não quero dizer que uma pessoa deve ficar 24 horas por dia estudando e criando projetos, mas, de alguma forma ela precisa demonstrar interesse e que ela investe em si mesmo. Nesse episódio do podcast devnaestrada um dos participantes fala bastante sobre isso, vale muito ouvir o episódio inteiro.

Enfim, acredito que buscar formas de aprender, não ficar parado e se envolver com pessoas que já estão na área, são formas bem legais de identificar oportunidades de começar. Sempre há alguém disposto a ajudar compartilhando conhecimento, seja presencialmente por meio de meetups ou na internet em tutoriais, blogs e canais.

Aqui vai uma dica de podcasts e canais de tecnologia para ouvir diversas experiências de quem tem muito a compartilhar.

Abraços!!!